26 de jul de 2005

Meu dilema

Estou vivendo um dilema: "Comprar ou não um Notebook".

Eu queria muito ter um notebook (quem não quer?) mas do jeito que as cosias andam eu vejo que está bem longe de mim essa realidade.

A verdade é a seguinte: preciso de um notebook apenas para apresentar sites para meus clientes.

Tenho ainda outras prioridades na minha vida, como comprar um carro por exemplo, e se eu gastar 5.000,00 num notebook vai ser foda. Mas que eu queria comprar eu queria, aliás, eu quero!

Seguindo o real propósito de eu ter um notebook pensei em comprar um note usado, tipo um PIII mesmo. Preciso de um note que tenha uma entrada USB pra eu ligar minha Pen Drive e tá feito. Coloco uma distro Linux nele, um Kurumin por exemplo pois sou tão bom com Linux quanto sou como escultor, e tá feito, fica leve e funcional pro que eu preciso. E de quebra até posso levá-lo na faculdade e abolir o meu caderno.

Agora, será que eu encontro um note antigo por um preço bom?

Já pensei em até vender meu micro e comprar um Notebook bom, mas até aonde vale a pena ter apenas um notebook?

Alguém se habilita em me ajudar a obter essa resposta!?!?

4 Comments:

At 10:41 AM, Blogger s1møne said...

Mercado Livre rulez, meu filho! Comprei um iBook 300Mhz para testar os sites no MacOs há alguns meses por uns mil reais. Você não precisa de um notebook para trabalhar full time, não é? Então, pegue um bem simples mesmo, instala o mínimo possível que ele irá satisfazê-lo. []s e boa sorte

 
At 10:05 AM, Blogger RoadHouse said...

eu concordo com a simone, c consegue muita coisa barata pelo mercado livre, mas atente sempre para a bataeria e para dead pixels no display, quanto a trabalhar no note é meio incomodo pelo tamanho (eu tenho um toshiba 1605 cds velhinho) pelo que puder perceber os que são mais legais para se trabalhar de fato sao aqueles grandões com tela de 21 polegadas que custam o olho da cara... meu conselho: procure um modelo já antigo e/ou usado

 
At 6:42 PM, Anonymous Cadu de Castro Alves said...

Há algum tempo, eu vi na televisão uma reportagem sobre notebooks. Notebooks com telas grandes, como o de 21" que o roadhouse citou, são considerados desknotes. É meio que um desktop, mas em formato de notebook. São grandes, pesados e ruins para serem levados de um lugar para outro. Mas, como são da categoria Desknotes, não são móveis.
Os considerados móveis, são os NOTEBOOKS. São pequenos e leves, mas possuem baterias com uma duração inferior aos DESKNOTES.
Mas, por serem móveis, são mais práticos.
Há cerca de 11 anos, meu pai ganhou nosso primeiro notebook em uma viagem à trabalho para Bahrein, um pequeno estado próximo a Arábia Saudita. Ele era muito pequeno e leve. E muito bom. Na época, era um notebook de última geração. E numa época em que quase não se viam notebooks. Alguns anos depois, ele comprou Desktop um P4 de 450Mhz. Na época, também de última geração. Após alguns anos de uso, algumas placas e o HD queimaram. Sem computador, a solução foi um laptop que meu pai usava no trabalho. Era um notebook. Desde esse primeiro notebook, já estamos na quinta geração. O primeiro e segundo notebook eram da Acer. Depois, veio um pequeno que existe até hoje da Compaq. Muito bom e que funciona perfeitamente até hoje, passados cerca de 3 anos desde a sua aquisição. Há cerca de 1 ano, meu pai nos trouxe um IBM Thinkpad. Um DESKNOTE muito poderoso. Porém, grande e pesado. Ruim de ser movido de um lugar para outro.
Recentemente, estamos com um Toshiba de tela widescreen com gravador e leitor de DVD e CD, Pentium 4 de 3.0Ghz, 512 de ram e mais algumas outras coisinhas. Simplesmente lindo! Porém, ENORME! Esse sim é praticamente impossível de ser levado de um lugar a outro. Ele é nada mais nada menos do que um enorme trambolho. É literalmente um DESKNOTE. Mas funciona.
Finalizando, se você pretendo comprar um laptop para levá-lo para sua faculdade ou para qualquer outro lugar, ou seja, que lhe traga mobilidade, compre um NOTEBOOK. Do contrário, pode ser um DESKNOTE mesmo!

 
At 6:43 PM, Anonymous Cadu de Castro Alves said...

Corrigindo o comentário anterior, não era um p4 de 450 Mhz. E sim um Pentium 3.

 

Postar um comentário

<< Home